jusbrasil.com.br
12 de Maio de 2021

Você sabe quais são as despesas básicas para iniciar na Advocacia?

Separamos dicas para quem quer atuar em homework ou abrir seu escritório físico.

Advocacionando  , Advogado
Publicado por Advocacionando
ano passado

No primeiro episódio do Podcast Advocacionando, iniciamos com o quadro Empreendedorismo, falando quais são as despesas básicas para iniciar na advocacia trabalhando em homework ou abrindo seu próprio escritório.

Aqui trataremos do assunto também de forma bastante objetiva.

A) Principais despesas iniciais para quem trabalhará em HOMEWORK, tema bastante em pauta, especialmente nessa época de pandemia:

1. Computador: é a despesa inicial mais importante e mais cara da lista que fizemos. O computador é um instrumento de trabalho imprescindível do advogado e serve, entre outros, para:

  • Elaborar petições;
  • Contato com clientes e prospectos (potenciais clientes);
  • Execução de marketing jurídico;
  • Gerenciamento das atividades do escritório como um todo (processos, fluxo de caixa, atividades internas...).

Importante esclarecermos que o seu computador não precisa ser uma supermáquina, porque de início você utilizará apenas o Word, navegador de internet e sistemas dos tribunais.

2. Roupa social: essencial para causar uma boa primeira impressão aos clientes, colegas, etc. Transmite autoridade. Você que está iniciando a carreira precisa fazer o possível para ser visto como advogado ou advogada.

3. Cartões de visita: muitas vezes o cartão de visita é o primeiro contato que um potencial cliente tem contigo, portanto é muito importante que se tenha um cartão de qualidade, que gere autoridade e credibilidade. Ademais, o custo não é tão elevado, por isso vale a pena investir num cartão de alta qualidade. Com aproximadamente R$ 200,00 você pode adquirir 1000 unidades, de alto padrão. Essa quantidade terá uma duração significativa.

Regras da OAB:

· O cartão deve contar: nome e número da OAB;

· O cartão pode conter: endereço, e-mail, página eletrônica, logotipo, horário de atendimento, áreas de atuação e fotos do escritório. A nossa recomendação é que se coloque apenas endereço, e-mail e logotipo, para que se tenha um cartão enxuto, sem excesso de informações.

· O cartão não pode conter: fotos do (a) advogado (a) ou de terceiros, informações que sugiram a mercantilização da profissão (como “o melhor advogado da região”, “o mais barato”...).

· O Código de Ética e Disciplina da OAB não menciona nada com relação ao número de telefone, mas orientamos a constar do cartão, sem sombra de dúvidas, já que é o principal meio de contato seu com os clientes.

4. Anuidade da OAB: varia de acordo com qual seja sua Seccional (estado). Em Santa Catarina, por exemplo, o valor integral é de R$ 1.071,00. Pagando à vista, o valor tem desconto substancial. Existem, ainda, descontos maiores para a Jovem Advocacia (advogados até o 5º ano de exercício da profissão).

5. Certificado digital: pen drive ou cartão magnético com as suas informações pessoais que serve para assinar digitalmente petições e outros documentos. Valor gira em torno de R$ 150,00 a R$ 200,00.

6. Deslocamento: como tratamos aqui de Homework, você terá gastos para se deslocar até o seu cliente, ir até os fóruns, realizar diligências ou protocolos em outros órgãos públicos... Em muitos casos, a depender da distância, esse gasto é significativo.

Exemplos: um advogado que trabalha em homework pode atender seus clientes diretamente na empresa deles (área empresarial), num café, padaria, coworking, etc.

B) Além das despesas que terá o advogado que atuará em homework terá, listamos as principais despesas iniciais para quem trabalhará abrindo seu ESCRITÓRIO FÍSICO:

1. Aluguel (fixo): analisar, de acordo com sua área de atuação, onde está seu público alvo (cliente).

Exemplo: para advogado especialista em direito de trânsito, pode ser mais vantajoso abrir o escritório próximo a uma rodovia, onde terá um fluxo maior de motoristas profissionais e pessoas que viajam bastante, como um representante comercial.

2. Luz, água, telefone, internet (variável);

3. Móveis e decoração: a dica caso você queira economizar é procurar móveis usados. O necessário é o básico: mesa, cadeiras, armário.

4. Placa de identificação do escritório: estudar o Código de Ética e Disciplina da OAB, que determina a forma que deve ser a placa de identificação e é semelhante ao que já falamos acima sobre o cartão de visita, com sobriedade e discrição, sem caráter de mercantilização.

5. Itens de conforto: máquina de café e ar condicionado, por exemplo.

6. Secretário (a) ou estagiário (a): se você for advogar sozinho, é um investimento primordial mesmo no início, pois impedirá que você precise fechar seu escritório para ir a audiências, atendimentos fora do escritório, órgãos públicos. Já se você irá abrir o escritório com mais parceiros ou sócios, esse investimento pode ser desnecessário, já que seus colegas podem manter o escritório aberto enquanto você precisar sair.

Agora, você pode estar se perguntando como você vai fazer para arcar com todos esses custos. Para isso, separamos algumas dicas de como conseguir fontes alternativas de receitas na advocacia, o que falaremos no próximo episódio/artigo.

Curtiu o artigo? Tem alguma sugestão? Conta aí pra gente!

Muito obrigado!

LINK DO PODCAST:

https://open.spotify.com/show/5LDe7xKN8frmexh67R8u3f?si=BjiEkeeyRNWtdtCs0U4vQw

CÓDIGO DE ÉTICA E DISCIPLINA DA OAB:

https://www.oab.org.br/arquivos/pdf/LegislacaoOab/codigodeetica.pdf

21 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Adorei!! Dicas essenciais. Obrigada. continuar lendo

Olá Priscylla!

Se tiver interesse, ouve nosso Podcast que tem dicas ainda mais profundas.

Muito obrigado! continuar lendo

Achei interessante e enxuto o texto. Ouvi a Podcast, bacana! Acrescentaria nessas despesas iniciais a utilização de um software jurídico para gestão do escritório, não é muito oneroso e funciona bem, mesmo para pequenos escritórios. continuar lendo

Olá, Beto, obrigado!

Realmente, um software jurídico é de grande valia na organização administrativa do escritório, mas nesse primeiro episódio tratamos de enunciar os gastos mais básicos. Sabemos que no início o máximo que der para "enxugar" de despesa, melhor, não é?

Uma dica para quem quer economizar é usar as planilhas do Excel. Na internet tem vários modelos gratuitos, basta adicionar as despesas. continuar lendo

Excelente! Poderia acrescentar investimentos em divulgação digital! continuar lendo

Olá, Michel!

Nesse artigo enxugamos o máximo as despesas para o mais essencial, mas, de fato, o ideal é que o advogado invista no seu marketing, sempre de acordo com o código de ética.

Alguns sites de advocacia correspondente (como o jurídico certo aqui do Jusbrasil) favorecem o advogado que paga para ganhar destaque no perfil. É uma forma muito válida de investimento, pois o advogado consegue o retorno do investimento rapidamente.

Esse é o tema do nosso segundo artigo (já disponível aqui no Jusbrasil). continuar lendo

Adorei obrigada, esperando o próximo artigo continuar lendo

Olá, Ingrid, muito obrigado!!

Se tiver interesse, ouve nosso Podcast que tem dicas ainda mais profundas, de forma bem simples, sem juridiquês. continuar lendo