Recomendações

(67)
Ambrósio da Cruz Viana, Advogado
Ambrósio da Cruz Viana
Comentário · há 6 meses
Aqui, da minha "Caverna", parabenizo a matéria da nobre equipe do "Advocacionando" sobre o tema "CNJ e o Juízo 100% Digital".
O mundo evoluiu de formas positiva e negativa em função de ter sido criado sob os fundamentos dos opostos (dia/noite, vida/morte, bondade/maldade, amor/ódio, etc, etc).
Sou de opinião (minoritária) que: primeiro o CNJ deveria, prioritariamente, dar condição tecnológica e até mesmo financeira para os tribunais implantarem um Sistema Digital confiável e que funcionasse a contento. Tenho em mãos a seguinte matéria: "Após pedido da OAB-GO, TJGO se compromete a informar previamente manutenção do Projudi". Eu trocaria a palavra "informar" por "funcionar". Está provado que em Goiás existe deficiência no sistema digital e não é de agora. Logo, não adianta o CNJ querer que o "Sistema Digital" tem que funcionar 100% (ao menos em Goiás) se a estrutura do sistema é precária. Acredito que falta investimento no sistema digital. Com essa flagrante deficiência digital, como ficam os prazos processuais digitais, estando o sistema fora da Internet? O CPC/2015 não previu esse grave problema.
Do outro lado de cá do Oceano Atlântico, o processo digital ainda não deu celeridade às demandas judiciais. Tenho conhecimento de casos sob a égide do Sistema Digital que já duram anos, sem previsão de solução, conforme determinado no artigo 4º do CPC, combinado com o artigo 5º, LXXVIII, da Constituição Federal. Estamos, juridicamente falando, sob o domínio do sistema "erga omnes" da morosidade.
E agora José? Tem uma montanha no meio do caminho, no meio do caminho tem um Everest coberto de gelo!!!

Fraternalmente,
Ambrósio da Cruz Viana
Goiânia - GO.
Jorge Ferreira, Advogado
Jorge Ferreira
Comentário · há 6 meses
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Outros advogados em União da Vitória (PR)

Carregando

Advocacionando

Entrar em contato